Líder formal e líder informal

Posted by – 26 de janeiro de 2010

Líderes motivam, inspiram, alegram, são seguidos… Blá-blá-blá… E por aí vai. Por aí vai e não para.

Que tipo de líder você é? Sem complicar! Dou-lhe uma, duas, apenas TRÊS opções:

- Formal – Você é chefe de alguém.

- Informal – Não é chefe de ninguém, mas tem um ótimo trânsito entre as áreas da empresa e muita gente gosta de você (Carisma).

- Formal e Informal – Melhor mundo. É chefe de alguém e ainda as pessoas gostam de você.

More…

Bookmark and Share

Funcionarios Públicos

Posted by – 25 de janeiro de 2010

Acho que todos que trabalham na área de vendas sempre primam muito pela qualidade do atendimento, e como conseqüência disto também gostam de ser bem tratados.

Depois de muito tempo, tive que recorrer novamente ao serviço publico e infelizmente mais uma vez fui mal tratado. Lembro de uma vez que fui a delegacia para dar queixa de furto e somente depois de esperar que alguns policiais fizessem compras de catalogo, finalmente fui atendido.

Hoje fui ao juizado de menores para conseguir uma autorização para que meus filhos pudessem viajar sozinhos e a primeira pessoa que me atendeu começou a encontrar todos os obstáculos possíveis e imagináveis para não executar a tarefa, imaginem, chegou a perguntar se meus filhos iriam a passeio ou a negocios…Juro que fiquei com vontade de falar que eles iriam trabalhar em alguma comunidade para fazer trouxinhas de maconha, pois estava na cara que ela queria encontrar uma justificativa para não fazer o que tinha que ser feito. Absurdo!

Na seqüência chegou um rapaz para entender o que estava acontecendo e iniciou um tratamento digno de nota dez, rapidamente pediu os documentos necessários e no mesmo momento começou a redigir a autorização.

Qual a conclusão que tiro disto? Poderia dizer que o serviço publico não funciona, na verdade não podemos jogar a culpa no poder publico e sim em algumas pessoas que trabalham com ma vontade, isto pode acontecer tanto em órgãos públicos como em empresas privadas, o diferencial esta nas pessoas e não nas instituições.

Concorda comigo?

Abs,

Alexandre Silva

Bookmark and Share

O Mundo Corporativo 2010!

Posted by – 24 de janeiro de 2010

Todos nós já sabemos que quem cuida da nossa carreira somos nós mesmos, porém após a leitura de um livro esta idéia tomou uma proporção ainda maior para mim.

O livro Headhunter - OS BASTIDORES DO MUNDO CORPORATIVO do autor e Head Hunter, Felipe Assunção traz uma série de testemunhos de grandes executivos e entre estes testemunhos, Felipe faz as suas considerações sob a ótica de um Headhunter.

Eu com 38 anos de idade conheci pessoas que trabalharam durante toda a sua vida profissional em uma única empresa e também já escutei falar sobre estabilidade de emprego.

Tenho como exemplo o meu Pai que trabalhou por longos anos em uma única empresa e isto sempre foi motivo de muito orgulho. Já na minha geração é muito mais comum encontrar pessoas que trabalharam em algumas empresas durante a sua carreira, eu mesmo trabalhei até hoje em 5 empresas durante 24 anos de minha vida, número razoável de empresas pelo tempo de trabalho.

Porém aqui muda um pouco a minha concepção sobre carreira profissional, pois existe um trecho no livro do Felipe que me fez pensar muito, veja abaixo na íntegra o que ele escreve:

Nem todo prestador de serviço é um executivo;mas todo executivo é fundamentalmente um prestador de serviços. O Executivo não “transforma”. É, via de regra, um profissional com competência em determinada área e que tem hoje um cliente específico chamado “empresa x”.

Ou seja, nos dias atuais devemos assumir a nossa condição de prestador de serviço e não mais ficar preocupado em arrumar emprego, temos que colocar o nosso serviço a disposição do mercado e quando acabar o projeto “x” na empresa “y” devemos novamente colocar o nosso serviço a disposição da empresa / mercado.

Acho que a geração Y já entende melhor este conceito, porém para mim ainda acho um pouco estranho falar assim com este desprendimento. Aquela história de vestir a camisa da empresa ainda existe, porém é de acordo com o tempo planejado….É, o mundo mudou e nós temos que nos adequar a ele. More…

Bookmark and Share

O Título é Seu!

Posted by – 22 de janeiro de 2010

Em conversa com um amigo falávamos sobre a escolha do artigo que iria postar no Blog, ele comentou que hoje ele não estava muito criativo, então perguntei: Vamos usar o tema Criatividade? Na mesma hora ele concordou.

A Criatividade pode ser utilizada em qualquer campo, seja no trabalho de um executivo, na escola, em casa, etc.

Como utilizar a criatividade no ambiente de Trabalho?  Antes de respondermos a esta pergunta, vamos dar uma olhada o que diz o dicionário Aurélio em relação a criatividade: 

Criatividade

s.f. Faculdade ou atributo de quem ou do que é criativo; capacidade de criar coisas novas; espírito inventivo: criatividade artística.

Quando falamos de criatividade a primeira imagem que nos vem a mente é de um artista, pois acreditamos que eles sim, devem ser criativos todo o tempo…Quem disse que nós não podemos aprimorar a criatividade em tudo em que fazemos? Algumas empresas incentivam os seus colaboradores a serem criativos, pelo que sei a 3M é uma delas.

Ser criativo no ambiente de trabalho não é apenas fazer algo diferente apenas por fazer, mas sim pensar como gerar maior economia, como executar um processo de maneira mais rápida, como abordar o cliente de maneira diferente para fechar um pedido, enfim, existem diversas formas de utilizarmos a criatividade no ambiente de trabalho. More…

Bookmark and Share

O Mundo Gira!

Posted by – 21 de janeiro de 2010

A alguns dias atrás estava discutindo com um colega de trabalho quais as melhores áreas para criar um plano de carreira para chegar até o topo da empresa, na verdade falávamos que para ser um CEO a pessoa teria que ter uma visão generalista e não especialista, mesmo assim as áreas que mais se destacavam como promissoras para que um profissional atingisse a posição de CEO eram as áreas de Finanças e Marketing e muito esporadicamente Vendas. 

Para a minha grata surpresa estava lendo a revista HSM Management e encontrei uma matéria de um dos maiores experts do mundo em gestão de vendas e marketing - Neil Rackham - que jogou por terra a nossa visão, ou pelo menos nos deu outra perspectiva.

Ele conta que a dez anos atrás quando os seus alunos perguntavam quais  eram as área que levavam ao caminho de se tornar um CEO, ele sempre indicava Marketing, Operações e Finanças, porém ele comenta que agora esta situação começa a se inverter, pois o foco das empresas está sendo direcionado para vendas, pois o momento de fusões agressivas, reorganização das empresas através de processos , automação, gestão e qualidade total já não demonstram tanto interesse aos acionistas, agora o novo mantra segundo Rackham é crescimento orgânico, ou seja, Vendas. 

Toda esta mudança veio em função da crise mundial e agora Vendas está sob os holofotes (título da matéria). Vejo esta notícia com muita alegria, pois sempre acreditei que a área de vendas é de muito importante para as empresas, porém sempre notei que ela nunca recebeu o seu devido valor. Quem sabe agora? More…

Bookmark and Share

Elementos Importantes para o Sucesso Profissional

Posted by – 20 de janeiro de 2010

Caro leitor,

Hoje temos a honra de ler um “Guest-Post” de um grande amigo meu e um dos melhores profissionais que já tive a oportunidade de trabalhar. Trabalhamos durante aproximadamente 5 anos juntos e foi tempo suficiente para admirar a organização e profissionalismo desta pessoa. Este é o tipo de colega de trabalho que vira amigo e não importa se a vida profissional nos leva para caminhos diferentes, nunca deixamos de manter contato.

Obrigado Marco Antonio.

Alexandre Silva

_ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _ _

Boa tarde!

Tive a honra de ser convidado por meu amigo Alexandre Silva para escrever um artigo no Gravata Solta.

Após pensar um pouco em algo interessante para abordar, cheguei a um tema que me faz relembrar momentos de minha própria trajetória profissional até hoje.

Qualquer um de nós com certa “rodagem” um dia pára e até mesmo sem perceber faz uma auto-análise dos fatos que marcaram nossas vidas até aquele momento. Muito provavelmente virão lembranças de oportunidades bem aproveitadas, oportunidades perdidas, acertos, erros, acaso, sorte, azar, etc.

Quem um dia não pensou: “Puxa! Se eu tivesse feito diferente, o resultado teria sido outro!!” ou “Se naquela época eu tivesse a experiência que tenho hoje…”

Observando o comportamento de colegas de trabalho, de clientes e também baseado nas minhas próprias experiências eu poderia sugerir atenção especial para três elementos que julgo muito importantes para que o “balanço” de nossas carreiras profissionais seja o mais positivo possível:

  • Pró atividade – Antecipe-se aos possíveis problemas procurando agir preventivamente e esteja sempre de prontidão para ajudar em benefício de sua equipe. Tenha atitude sempre, sem deixar de ser você mesmo.
  • Curiosidade – Procure estar “antenado” com tudo que acontece com a empresa para a qual você trabalhe. Seja curioso no sentido de querer aprender e mostre-se interessado sempre.
  • Criatividade – Procure sair da rotina. Tente encontrar maneiras diferentes de realizar as tarefas, pois sempre você aprenderá algo novo ou um modo mais produtivo de fazê-las. Seja criativo em seu trabalho e procure fazer pelo menos uma coisa inovadora e criativa por dia.

Olhando para a estrada que ficou para trás percebo que algumas coisas poderiam ter sido diferentes, porém, com a maturidade e autoconhecimento há sempre a oportunidade de corrigir os detalhes e escrever uma história de felicidade e sucesso.

Um abraço,
Marco Antonio.

Bookmark and Share

Você conhece os produtos que vende?

Posted by – 19 de janeiro de 2010

Parece uma pergunta estranha, mas existem vários vendedores que tiram pedidos e não vendem, qual a diferença? A diferença está entre você mostrar um catálogo de produtos aos clientes e ele pedir para vir tantas caixas disto, e tantas daquilo, ou até mesmo sem mostrar nada ao cliente, ele pede a mesma coisa para você, porque ele não sabe que você vende outros produtos.

Para que você seja um vendedor profissional é necessário que você  conheça as características e benefícios de todos os produtos que você vende, além disto, também é necessário que você conheça as necessidades do seu cliente.

Vou contar uma história para vocês:

Houve uma época da minha carreira profissional que eu trabalhava em uma grande empresa de alimentos e nesta ocasião eu vendia para médios supermercados, existia um cliente na região do centro da cidade em que eu o visitava toda semana, a minha visita era mais ou menos desta forma:

  • Entrava no cliente cumprimentava os funcionários,
  • Dava uma volta na loja para analisar o merchandising e falar com o promotor de vendas;
  • Subia no depósito do estabelecimento, verificava a quantidade dos produtos que eu havia vendido e as datas de validade, neste momento eu também aproveitava para verificar o volume dos produtos concorrentes (você pode utilizar isto a seu favor de diversas formas);
  • Descia para seção de trocas e verificava se existia algum produto  impróprio para consumo;
  • E então seguia até a sala do comprador.

Quando chegava ao local, havia uma sala de espera que, por “coincidência” eu sempre era o próximo da fila, (ele nunca me deixava aguardar, sempre que me via sentado pedia para eu entrar) quando eu entrava ele me oferecia café e então começavámos a conversar sobre vários assuntos, entre eles, lançamentos de produtos, alguma ação comercial específica e no final da conversa mostrava a ele a minha sugestão de compra. More…

Bookmark and Share

Matriz da Produtividade

Posted by – 18 de janeiro de 2010

Caro Leitor,

A alguns anos atrás fiz um curso sobre administração do tempo e o que realmente achei interessante é a diferenciação entre  importante e urgente. E você leitor sabe diferenciar algo que é urgente de algo que é importante?

Isto implica no nosso dia a dia, principalmente nas tarefas. Eu particularmente tenho a mesma agenda a quatro anos e todo ano troco apenas o refil, é um modelo que me adaptei muito bem e que permiti definir entre as tarefas urgentes e importantes, a agenda que uso é  Franklin Covey.

Vamos ao conceito:

  • Importante - É algo que você deve fazer mas não necessariamente no momento - Ex: MBA, Ler um livro, etc.
  • Urgente - Você deve fazer naquele momento, não necessariamente é importante - Um relatório que foi solicitado a três dias, pagar uma fatura que você teve um mês para pagar e hoje é o último dia para tal, etc.

Após dar uma olhada na Matriz da Produtividade, acredito  quevocê não irá mais desperdiçar o seu tempo com qualquer tarefa, observe:

 

 

 

 

 

 

 

 

 

 

Analisaremos a Matriz decifrando cada quadrante:  More…

Bookmark and Share

Cardápio de Opções.

Posted by – 17 de janeiro de 2010

Caro Leitor,

Estamos chegando ao fim de mais um final de semana, desta forma quero lhe fazer algumas perguntas, Nestes dois últimos dias:

  • Você almoçou/jantou em algum restaurante?
  • Foi à algum Fast Food com os seus filhos?
  • Pediu alguma pizza para comer em casa com os amigos?
  • Foi a algum barzinho com o namorado(a)?
  • Enfim, você fez alguma alimentação fora do lar?

Provavelmente a resposta para algumas destas perguntas é sim. Você parou para pensar quantos ingredientes tinham naquele lanche, pizza, refeição ou sobremesa que você pediu? Você ja imaginou como estes alimentos chegaram até a mesa do estabelecimento que você estava? Quais as marcas de alimentos estavam envolvidas? 

Pois é, aproveitei um artigo que escrevi a algum tempo atrás no Blog da HSM para chamar a sua atenção para um mercado ainda pouco conhecido no Brasil e que movimentou mais de R$ 60 Bilhões em 2009, e a tendência é de crescimento acelerado para os próximos anos, não só no Brasil mas em vários outros países.

Esta tendência é chamada  Food Service, ou seja, é alimentação fora do lar, ou como os americanos chamam - OOH - Out of Home. Este mercado tem crescido muito nos últimos anos, e quando o camparamos com o varejo tradicional (Supermercados), o crescimento chega ser quase o dobro.

Apenas para fazer uma comparação, de acordo com a ABIA (Associação Brasileira da Indústrias de Alimentação) este mercado movimenta anualmente U$ 443 bilhões no mundo e a tendência é aumentar ao longo dos anos em função de alguns “drivers”:

  1. A mulher está cada vez mais presente no mercado de trabalho;
  2. Trabalhamos cada vez mais;
  3. Não temos tempo de preparar os alimentos em casa;
  4. Precisamos de alimentação rápida (Fast Food).

Em uma recente pesquisa chegou-se a seguinte conclusão:  Do orçamento domiciliar destinado para alimentação: More…

Bookmark and Share

Ande de mãos dadas com a tecnologia e seja o artilheiro da equipe

Posted by – 16 de janeiro de 2010

Amigos dos GravataSolta.com.br! Parafraseando o eterno narrador Silvio Luis: Encha o peito, solte o grito da gargante e confira comigo mais uma novidade tecnológica!

Éééééééééé, faça isso todos os dias. Sempre! Não dá? Comece a dizer não para si mesmo e comece a filtrar as informações disponíveis que chegam pra você!  Escolha aquilo que mais se adapta à sua realidade, seu gosto.

Você gosta de tecnologia? Que bom!

Não tanto assim? Acostume-se a ela.

Não gosta nada, é das antigas mesmo sendo jovem? Enfrente este monstro!

E no mundo corporativo, o negócio é usar a tecnologia para gerar… NEGÓCIOS! Seja para você, individualmente, ou para a empresa que costuma pagar seu salário determinado dia do mês.

Nossa, individualmente, GravataSolta?

Sim, caro leitor! Se você aparecer, com ética e sabendo jogar em equipe, o artilheiro do time será você!

Pare um instante e pense. Já que começamos citando o Silvio Luis, famoso pelo “éééééé mais um gol brasileiro, meu povo”, veja como a tecnologia no futebol evoluiu, em todos os aspectos. Para entendermos, vamos citar alguns exemplos e compará-los ao mundo corporativo.

Material de trabalho

… no futebol

  1. Chuteiras essão mais leves, permitem ao jogador bater na bola como quiser. De bico, ok. De chapa ou peito de pé, idem. Se for no campo molhado, troque as travas…

>>> Um desempenho de destaque passa a depender cada vez mais do jogador, da maneira como ele consegue potencializar tudo isso em prol dele mesmo e da equipe

>>> Treino! Treino, treino! Orientação… Treino! Feedback… Treino! Percepção, talento. Treino…

  1. Roupas – são leves e ainda elegantes. Além de colaborar para o desempenho atlético do jogador, as marcas permanecem elegantemente expostas e o jogador bunitinho para a televisão filmar.
  2. E por aí vai… grama cada vez mais bem cuidada, com avanços da biologia, engenharia etc… More…
Bookmark and Share
Get Adobe Flash playerPlugin by wpburn.com wordpress themes